O que é CDD?

  Questões técnicas

Criada no final do século XIX pelo bibliotecário norte-americano Melvil Dewey, a Classificação Decimal de Dewey (CDD) é um sistema numérico de classificação temática de livros – muito útil, até hoje, para organização de bibliotecas. Em sua vigésima terceira edição (de 2011), a CDD é composta por dez grandes áreas:

000 Informática e obras gerais
100 Filosofia e Psicologia
200 Religião
300 Ciências Sociais
400 Língua
500 Ciências
600 Tecnologia
700 Artes
800 Literatura
900 História e Geografia

A partir dessas categorias gerais é possível aprofundar a descrição temática de uma obra. Atribui-se, por exemplo, a CDD 869.3 a um livro de ficção em língua portuguesa. Já o código 981.061 refere-se a livros de História do Brasil que tratam da Era Vargas, enquanto a CDD 981 refere-se simplesmente à História do Brasil como um todo.

Como pode-se observar, a CDD é composta sempre primeiramente por três algarismos. Com o aprofundamento da especificidade temática, acrescentam-se outros algarismos após um ponto. A construção da CDD segue uma porção de regras conhecidas por bibliotecários e, após o ponto à direita dos três algarismos iniciais, pode-se encontrar até mesmo mais de dez algarismos – de acordo com o nível de especificidade.

Nos livros, pode-se localizar a CDD, em geral, no canto inferior direito da ficha catalográfica. É este o código que deverá ser utilizado no campo opcional CDD, no MercadoEditorial.org. Se houver mais de uma indicação de CDD na ficha catalográfica, utilize apenas a primeira delas.

Após digitar o código numérico (com o ponto após os três primeiros algarismos, se houver) no campo destinado a ele, aperte a tecla Tab do seu teclado e será sugerido um código BISAC. Perceba que trata-se apenas de uma sugestão automática. É recomendável, portanto, avaliar a pertinência da categoria e da subcategoria BISAC indicadas e, eventualmente, selecionar opções mais adequadas.